Cirurgia de artrose no joelho: saiba como funciona

cirurgia-de-artrose-no-joelho (1)

Muito se fala a respeito da cirurgia de artrose no joelho, mas será que esse é um procedimento obrigatório? Há algum outro método onde é possível obter um resultado satisfatório, sem dor? Fato é que há muita avaliação antes de chegar nessa conclusão.

Antes de passar por qualquer procedimento cirúrgico, é normal que o paciente queira saber mais informações a respeito do que irá acontecer com ele. Será que é algo perigoso? Quais são os riscos? Como proceder para ter uma boa recuperação?

Afinal de contas, há algumas cirurgias que são um pouco intrusivas e, por isso, nem sempre é a primeira coisa que os médicos consideram. Então, é normal que você se pergunte se em relação a cirurgia de artrose no joelho é a mesma coisa. Será que é um procedimento comum?

É bem comum que essas e outras dúvidas surjam na sua mente. No entanto, a fim de fazer com que você se sinta mais seguro, é essencial esclarecer todos os pontos sobre o procedimento. É normal o ser humano ter receio daquilo que é desconhecido.

No entanto, mediante aos avanços da medicina, implementa-se novos processos e obtém-se novos entendimentos a respeito de cirurgia, o que pode fazer com que ela se torne ainda mais segura. Por isso, no artigo de hoje, iremos esclarecer alguns pontos cruciais sobre esse assunto. Confira!

O que é artrose?

Antes de falarmos sobre a cirurgia de artrose no joelho, é interessante que você entenda melhor a respeito desse problema que acomete os joelhos. Em suma, essa é uma patologia mais frequente em relação a essa parte do corpo.

Em suma, essa doença é o resultado de um processo degenerativo por desgaste na cartilagem do joelho. Por conta disso, esse problema tem uma certa ligação com a idade do paciente. Quanto mais velha uma pessoa é, maiores são as tendências.

Há alguns fatores que podem contribuir para esse problema além da idade, como o excesso de peso, desvio no eixo do joelho ou mesmo traumatismo com fratura ou lesão de ligamentos cruzados, por exemplo.

Os ossos passam por um processo de regeneração, o qual se chama calcificação. No entanto, de acordo com o Dr. Ulbiramar Correia “nas mulheres, a calcificação ocorre por meio do estrógeno, hormônio que diminui com a menopausa.”

Ou seja, isso quer dizer que mulheres são mais suscetíveis à artrose. Ademais, essa doença vai além do simples problema no joelho. Na realidade, trata-se de um problema de saúde e bem estar geral, haja vista que ela é capaz de afetar a mobilidade do paciente.

Portanto, na grande maioria dos casos, a cirurgia de artrose no joelho é a melhor opção para tratar esse tipo de problema.

Como é feita a cirurgia de artrose no joelho?

A cirurgia de artrose no joelho style=”font-weight: 400;”> depende de alguns fatores, em especial no que tange a dor que o paciente sente. No entanto, essa cirurgia se divide nas que são minimamente invasivas e daquelas tradicionais.

Apenas o médico é a pessoa capacitada em optar pelo procedimento mais adequado, onde leva em consideração uma série de fatores. Mas, se você quer saber como é a cirurgia de artrose no joelho, iremos falar sobre esses tipos abaixo. Confira.

Cirurgia de artrose no joelho com técnicas minimamente invasivas

Esse tipo de técnica, como o próprio nome sugere, são aquelas em que se faz pequenas intrusões ao corpo do paciente. Em vista disso, tende a ser um procedimento regado de benefícios. Falaremos sobre esses métodos abaixo.

Artroscopia

Trata-se de um procedimento onde o médico insere uma câmera dentro do joelho, através de 2 ou 3 perfurações, as quais se chamam “portais”. O intuito dessa câmera é justamente observar a estrutura de dentro, a fim de analisar melhor a situação.

Nesse tipo de cirurgia de artrose no joelho, faz-se uma limpeza articular, com remoção do tecido inflamatório e de esteófitos, os famosos “bicos de papagaio”. No entanto, não é todo mundo que passa por esse processo.

Na verdade, na grande maioria das vezes, indica-se essa técnica em casos intermediários, em especial em pacientes mais jovens. Inclusive, para esse público, a taxa de sucesso está entre 50% e 60%, mesmo que provisória.

Subcondroplastia

Essa é uma técnica um tanto quanto nova, que recém chegou ao Brasil. Nesse método, infunde-se cimento ósseo na área mais fragilizada do osso, o qual está sobrecarregado pela artrose. Contudo, também não é uma técnica do qual todo paciente pode passar.

Indica-se esse método, em especial, para as artroses em um ponto só do joelho, principalmente em pessoas acima dos 40 anos que se submeteram à retirada total ou parcial do menisco, por exemplo.

Por ser um procedimento minimamente invasivo, deve-se fazer dois pequenos cortes na pele, onde é possível fazer uma radioscopia. Em relação a recuperação, isso varia de caso para caso. No entanto, os pacientes costumam ter alta poucos dias após esse procedimento.

Cirurgia de artrose no joelho com técnicas tradicionais

Em alguns casos, o caso do paciente demanda que ele passe por uma cirurgia tradicional, ou seja, aquelas que são abertas. Por conta disso, a recuperação pode ser um pouco mais demorada, mas ainda assim confere alguns benefícios. Dentre as cirurgia de artrose no joelho tradicionais, podemos citar:

Osteotomia

Trata-se de um procedimento mais indicado para pessoas que possuem artrose um ponto só do joelho e pacientes que tenham menos de 60 anos de idade. O intuito dessa técnica é fazer um desvio do eixo, a fim de amenizar a dor.

Ou seja, faz-se com que o peso deixe de passar na área doente do joelho, mas sim que ele seja jogado para uma área mais sadia, saudável. Mas, para que isso se torne possível, deve-se fazer um corte no fêmur e na tíbia. Feito isso, insere-se uma placa.

Prótese total do joelho

Essa é a cirurgia de artrose no joelho onde é preciso substituir toda a articulação do joelho. Ou seja, substitui-se o fêmur, a tíbia e a patela. Como é um procedimento muito mais invasivo, indica-se apenas no estágio final da doença.

É mais comum para mulheres acima dos 60 e homens acima dos 70 anos. Ademais, essa cirurgia é feita por via aberta tradicional, através de cortes ósseos. Contudo, quando bem feita, traz um enorme ganho na qualidade de vida do paciente.

Isso quer dizer que há possibilidade de voltar a se tornar ativo e, além do mais, reduz os riscos das doenças ligadas ao sedentarismo, como o infarto agudo do miocárdio, hipertensão, diabetes, câncer e depressão.

Ademais, de acordo com alguns protocolos recentes, diversos protocolos de retorno ao esporte no pós-operatório da prótese do joelho foram criados. Por isso, tem incentivado com que cada vez mais pessoas se submetam ao procedimento.

É possível tratar a artrose no joelho sem cirurgia?

Se você não quer passar pela cirurgia de artrose no joelho, é possível que se pergunte se existe alguma alternativa para tratar esse problema, sem ter que passar pela intervenção cirúrgica. Na verdade, até existe, mas nem todos podem passar por esse procedimento.

Afinal de contas, deve-se analisar o quão avançado a doença está, por exemplo. Entretanto, o tratamento não cirúrgico da artrose deve começar com algumas modificações no estilo de vida, onde o intuito é proteger a articulação do joelho, além de retardar o progresso da doença.

Então, deve-se cogitar o controle de peso, manutenção da força por intermédio de exercícios etc. Ou seja, há uma grande necessidade de começar a fazer fisioterapia e passar a tomar uma gama de medicações, mas que devem ser administradas com certa cautela.

E, em alguns casos, o médico pode indicar a infiltração com cortisona. Através desse processo, faz-se uma punção (remover água do joelho). Isso acontece porque o líquido sinovial tem caráter inflamatório. Em seguida, faz-se a aplicação da cortisona.

No entanto, o mais comum é a infiltração de ácido hialurônico no joelho. Esse é um tratamento comum há mais de 20 anos. Contudo, a sua indicação varia de acordo com a idade ou mesmo o grau da artrose.

Como é a recuperação após a cirurgia de artrose no joelho?

Isso vai depender de acordo com o tipo de cirurgia que você teve que passar. Na grande maioria dos casos, aquelas que são minimamente invasivas tendem a possuir um tempo de recuperação menor, mas isso também varia de acordo com outros fatores.

Contudo, a recuperação de cirurgia de colocação de prótese de joelho, por exemplo, pode variar de 3 a 6 semanas. E, a depender do caso, o paciente pode começar a movimentar o joelho de 2 a 3 dias após o procedimento.

Mas, aos poucos e com fisioterapia, o paciente tende a retornar com a maior parte das atividades do dia a dia. Para que isso ocorra com certa rapidez, é essencial seguir as recomendações médicas, como evitar algumas posições, tomar os remédios nos horários etc.

Post Anterior: Cirurgia No Joelho É Perigoso: Tirando A Dúvida De Muitos

Gostou do artigo? Compartilhe!

Share on pinterest
Pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Precisa de um especialista em Joelho?

Agende uma consulta agora

Dr. Ulbiramar Correia

Ortopedia, Traumatologia, Medicina Esportiva & Cirurgia de Joelho.

Dr. Ulbiramar Correia atua há mais de 10 anos em Goiânia e tem expertise em diversos tipos de cirurgia do joelho, como artroscopia, prótese do joelho e medicina esportiva. Em mais de uma década, trata as mais variadas condições médicas que podem acometer os joelhos, dentre elas doenças ósseas, traumatismo, instabilidade articular, luxação, luxação patelar, artrose, osteoartrite, doenças musculoesqueléticas, lesões da cartilagem articular, meniscos e de ligamentos cruzados do joelho.

Especialidades

LCA goiania

Cirurgia Ligamento Cruzado Anterior – LCA

O Ligamento Cruzado Anterior (LCA), um dos quatro principais ligamentos do joelho, é composto por um resistente “cordão” de tecido fibroso em formato de “x” que conecta o fêmur (osso da coxa) à tíbia (osso da perna). A principal função do LCA é dar estabilidade ao joelho no sentido de rotação, preservando, desse modo, estruturas internas como meniscos e cartilagens. O LCA é essencial para que as pessoas consigam realizar tarefas diárias como sair do carro, ocasião em que após colocar o pé no chão o indivíduo gira o corpo sobre o joelho. Lesões do LCA são frequentes em atletas

Leia mais
doencas-joelho-goiania

Doenças Musculoesqueléticas

O que são doenças musculoesqueléticas? Tendinite no joelho é uma delas Segundo o Centro de Dor e Neurocirurgia Funcional do Hospital 9 de Julho, de São Paulo, 90% da população sofre por causa de dores musculoesqueléticas, fato que leva 30% a faltar no trabalho. Essas dores, geralmente, podem ser sinais de doenças musculoesqueléticas, como tendinite no joelho, bursite, entesopatia, dentre outras. Se não tratadas, essas enfermidades podem comprometer a qualidade de vida e, em casos crônicos, levar à invalidez. Embora os números da pesquisa sejam significativos, boa parte da população não sabe como as doenças musculoesqueléticas se manifestam, nem o

Leia mais
osteoartite-joelho-goiania

Osteoartrite do Joelho

Osteoartrite? Consulte médico especialista em Joelho em Goiânia Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que a osteoartrite, também denominada de artrose, é a quarta doença que mais reduz a qualidade de vida para cada ano vivido. Ainda segundo a instituição, 80% dos indivíduos com osteoartrite possuem limitações de movimento e 25% não conseguem realizar atividades do dia a dia como caminhar ou subir escadas, por exemplo. Embora seja conhecida por afetar idosos com mais de 60 anos, pois tem caráter degenerativo, uma pesquisa da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT) revela que 20% dos brasileiros na faixa

Leia mais
instabilidade-articular-joelho-goiania

Instabilidade Articular: causas, diagnóstico e tratamentos

Instabilidade articular? Vá ao médico especialista em Joelho Você já se desequilibrou andado ou sentiu dor carregando algo mais pesado? Acontece com frequência? Se sua resposta for sim, é hora de procurar avaliação de um médico especialista em Joelho, pois você pode estar sofrendo com instabilidade articular. Esse problema, que pode ter origem congênita (de nascença) ou adquirida, ocorre quando os ligamentos do joelho estão enfraquecidos e pode envolver outras estruturas como músculos, cartilagem articular e meniscos. Dentre os principais ligamentos do joelho estão: Ligamento Cruzado Anterior (LCA), Ligamento Colateral Lateral (LCL), Ligamento Colateral Medial (LCM) e Ligamento Cruzado Posterior

Leia mais
luxacao-joelho-goiania

Luxação do Joelho

Luxou o joelho? Consulte o médico especialista em Joelho em Goiânia Embora já tenha sido conhecida como uma entorse rara, cresceu consideravelmente nos últimos anos os casos de luxação do joelho no Brasil, isso se deve ao expressivo número de acidentes de trânsito, principalmente envolvendo motos, e a quantidade crescente de praticantes de exercícios físicos. Considerada uma das lesões mais graves, decorrente de trauma direto ou indireto, a luxação do joelho acontece quando existe desencaixe dos ossos da articulação e a ruptura de pelo menos 2 dos quatro principais ligamentos do Joelho – Ligamento Cruzado Anterior (LCA), Ligamento Colateral Medial

Leia mais
lesoes-joelho-goiania

Lesões do Joelho

Cartilagem articular e meniscos são afetados por lesões do joelho? O joelho, uma das maiores articulações do corpo humano, é composto pelo fêmur, tíbia e patela. Todos esses ossos são ligados por várias estruturas, como ligamentos, tendões, cartilagem e menisco. Por ser um membro bastante solicitado no dia a dia para diversas atividades cotidianas, o joelho é uma das áreas que mais sofre lesões diretas e indiretas. Rompimento do Ligamento Cruzado Anterior (LCA), condromalácia, tendinite, luxação patelar, lesão do menisco, rompimento do Ligamento Cruzado Posterior (LCP), dentre outras, são os principais traumas que acometem os joelhos. Detalhes sobre essas lesões

Leia mais

Venha até nós

Precisa de atendimento?

Fale Conosco