Prótese Total de Joelho – saiba todos os detalhes

protese-total-joelho (1)

O nosso joelho é uma das articulações mais complexas do ser humano e, além disso, também é um dos mais importantes. Afinal de contas, é ele o responsável por sustentar todo o nosso peso corporal por longas horas. Por conta disso, há vezes em que a prótese total de joelho se faz necessária.

Por conta disso, trata-se de um dos membros mais suscetíveis a desenvolver algum problema. É natural que, com o passar do tempo, as nossas articulações se desgastem. Ninguém está imune de passar por essa situação. Inclusive, é por essa razão que, quanto mais idosa uma pessoa é, maiores são as chances dela ter algum problema nas articulações, inclusive no joelho. Mas, ainda assim, minimizar esses problemas aos mais velhos, não é o correto. A verdade é que há algumas atitudes que tomamos no dia a dia que podem aumentar os riscos de se ter alguma lesão na articulação. Por isso, mesmo pessoas mais novas não estão isentas de passar por esse tipo de problema. No entanto, se o desgaste natural é algo que todas as pessoas passam, isso quer dizer que, uma hora ou outra, todos irão precisar de uma prótese total de joelho? Não é bem assim. Na verdade, apenas algumas situações mais específicas que tornam esse procedimento necessário. Por mais que todas as pessoas sofram de desgaste, nem sempre a prótese total de joelho é a intervenção mais adequada para se resolver a doença ou problema do paciente. Há diversas coisas que se deve levar em consideração. Sendo assim, se você quer saber tudo a respeito desse assunto, é só se manter nesse artigo, onde iremos abordar os principais tópicos. Então, sem mais delongas, vamos ao que importa!

Como é a anatomia do joelho?

protese-total-joelho
Anatomia do joelho

Antes de falarmos sobre a prótese total do joelho, é de grande importância que, antes, você entenda como é a anatomia dessa articulação. Primeiro de tudo, sabia que, de todas as articulações que temos no nosso corpo, o joelho é a maior delas? Então, por ter uma extensão mais longa, tanto os riscos quanto os possíveis problemas tendem a se tornar ainda maiores. Ter um joelho saudável é fundamental para que se possa fazer a grande parte das atividades do dia a dia. E isso só acontece devido a sua anatomia. O joelho é formado pela extremidade inferior do osso da coxa, o fêmur, e pela extremidade superior do osso da canela, a tíbia. Fora essas duas extremidades, ainda há a patela. Todos esses três ossos são cobertos de cartilagem, no ponto em que se encontram. A cartilagem nada mais é que uma espécie de substância lisa, a qual protege os ossos e ainda permite que haja movimentação com maior facilidade. Além do mais, ainda há o menisco, o qual fica bem entre o fêmur e a tíbia. Essas cunhas, em formato de C, são essenciais para absorver impactos, os quais são constantes. Ou seja, amortece a articulação, o que reduz a degradação.

Quais são as funções do joelho?

Todas as estruturas do joelho possuem a sua importância, haja vista que cada uma tem o seu objetivo. Os grandes ligamentos, por exemplo, mantêm tanto o fêmur quanto a tíbia juntos, os quais conferem estabilidade. Agora, no que diz respeito aos músculos que se estendem ao longo da coxa, dão mais força ao joelho, para aumentar a resistência em relação à sobrecarga. Fora isso, não se pode deixar de citar que todas as superfícies são cobertas pela membrana sinovial. Esta, nada mais é que uma camada fina, a qual libera um líquido e visa lubrificar a cartilagem. Dessa forma, reduz ainda mais o atrito. Em um joelho saudável, torna-se praticamente zero. Mas, à medida que o tempo passa, podem aparecer alguns problemas. Ademais, todas essas estruturas que citamos devem trabalhar de forma harmônica, a fim de conferir cada vez mais estabilidade e resistência. Entretanto, quando o paciente sofre alguma lesão ou tem alguma doença, essa sintonia pode se quebrar. Por consequência, é normal que haja alguns sintomas, bem como dor, fraqueza muscular e, em especial, a redução das funções. Nessas situações, pode-se cogitar a prótese total do joelho, quando se trata de um problema mais grave.

O que pode resultar na prótese total de joelho?

protese-total-joelho (1)
Prótese de joelho

Como dito no início, o joelho é uma das maiores articulações do corpo humano. Por conta disso, de uma certa forma, ele está um tanto suscetível a alguns problemas e doenças. Isso quer dizer que há mais de uma possível causa para a prótese total do joelho. É claro que essa não é a primeira solução que os médicos cogitam. Na verdade, deve-se tentar tratamento de outras formas. Mas, quando a doença se mostra bem avançada, e não há qualquer melhora com os outros tratamentos, a artroplastia passa a ser uma opção. Mas, caso você esteja se perguntando quais são as principais doenças que podem afetar os joelhos, iremos falar logo abaixo.

Osteoartrose

Quando a gente faz algum movimento com os joelhos, existe toda uma movimentação. E isso acaba por mexer em algumas estruturas internas, como a cartilagem. Então, à medida que o tempo passa, há menos cartilagem no corpo. E não existe cartilagem apenas no joelho, mas em várias outras articulações. Contudo, é muito mais que isso aconteça na coluna, quadril e joelho, uma vez que é onde há mais impacto. Então, a osteoartrose do joelho nada mais é quando há pouca cartilagem nas articulações. É um tipo de artrite causado pelo desgaste, o qual tem certa ligação com a idade, uma vez que o desgaste é maior quanto mais velha a pessoa for. Por isso, pessoas acima dos 50 anos são as mais propensas. Mas, sim, jovens também podem ter esse problema. Afinal de contas, é uma lesão na cartilagem. Isso quer dizer que, quanto mais se tem hábitos negativos, maiores as chances de se desenvolver esse tipo de problema.

Artrite reumatoide

Em suma, nada mais é que uma doença que pode ocasionar em algum tipo de inflamação e espessamento da membrana sinovial que, como já falamos, reveste toda a nossa articulação dos joelhos. Por conta disso, esse problema tende a ser mais grave, haja vista que ele atinge uma parte ligeiramente mais extensa. Além do mais, essa inflamação crônica é capaz de lesionar a cartilagem, levando a perda e, por consequência, dor e rigidez. Mas, diferente da doença anterior, a verdade é que a causa ainda é um pouco desconhecida. O que se sabe é que as mulheres têm duas vezes mais chances de ter esse problema do que os homens, por exemplo. Fora isso, é mais comum que esse problema afete pessoas que tenham entre 30 e 40 anos. Ainda é interessante destacar que esse é um tipo de doença mais comum do grupo chamado de “artrite inflamatórias“.

Artrose pós-traumática

Nesse caso, pode ser alguma consequência de uma lesão mais grave do joelho. Ou seja, nada mais é quando o paciente já tem uma doença mas que, devido alguns fatores, há alguns agravos, capazes de afetar a articulação. Então, fraturas dos ossos do joelho ou mesmo rupturas dos ligamentos podem fazer com que a cartilagem se lesione, à medida que o tempo passa. Por isso, o paciente pode sentir algumas limitações nas suas funções e algumas dores. Essas são as principais doenças que são capazes de fazer com que seja necessário a prótese total de joelho. Mas, como dito, há outras formas de tratar cada doença antes mesmo de chegar em uma intervenção cirúrgica. Às vezes, fazer fisioterapia ou tomar alguns remédios pode ser o suficiente para fazer com que o paciente se sinta melhor e tenha uma melhora. Mas, e se a prótese total de joelho for necessária, como é esse procedimento? A artroplastia de fato pode ser uma intervenção cirúrgica que assuste um pouco, uma vez que ela é um tanto quanto invasiva. Por isso entender como é o procedimento é uma das formas de fazer você se sentir um pouco mais tranquilo. É sobre isso que iremos falar nos tópicos seguintes.

O que é artroplastia de joelho?

 

A artroplastia do joelho, ou cirurgia de prótese de joelho, como também pode ser chamada, nada mais é que uma forma de tratar artrose grave ou outras doenças relacionadas e que sejam tão graves ou em estado avançado. Em suma, nada mais é que a troca da superfície articular que já está desgastada por uma outra nova. Mas, nesse caso, ela é feita com alguns materiais artificiais, como o metal ou polietileno, por exemplo. É uma ótima forma de restabelecer algumas das principais funções do joelho. Ademais, é interessante destacar que, diferente do que a grande parte das pessoas pensam, a cirurgia não procura remover por inteiro o joelho. Apenas a superfície dentro da articulação. Isso quer dizer que a grande parte do joelho original se mantém preservada. Fora isso, é essencial que você entenda que há dois tipos de próteses: a total e a parcial. Cada uma requer casos diferentes, e as diferenças entre elas, são:

  • Artroplastia total do joelho: nesse caso, como o próprio nome indica, nada mais é quando há remoção total do joelho. Por isso, deve-se substituir toda a parte da superfície do fêmur e da própria tíbia;
  • Artroplastia parcial do joelho: diferente da anterior, quer dizer que a doença ou lesão não afetou o joelho por inteiro. Então, nessa situação, deve-se apenas substituir uma parte do joelho. Por conta disso, tende a ser um pouco menos complexa e mais simples.

Como é a etapa para a cirurgia de prótese de joelho?

protese-total-joelho (2)
Cirurgia de prótese de joelho

Seja total ou parcial, a verdade é que ainda assim estamos falando de um procedimento um tanto quanto invasivo. Por conta disso, o médico deve fazer diversos exames e análises, a fim de obter a certeza de que esse é o melhor tratamento. Além do mais, por via de curiosidade, o nome mais preciso para essa intervenção seria “artroplastia da superfície do joelho”. Isso porque, bem como você já deve ter entendido, apenas há substituição da superfície dos ossos. Fora isso, há quatro etapas básicas para todas as cirurgias desse tipo, a qual é interessante que você saiba, até mesmo para entender melhor esse assunto. São eles:

  • Preparação do osso: nessa fase, nada mais é quando as superfícies de cartilagem lesionadas nas extremidades, seja do fêmur ou da tíbia, devem ser retiradas junto com uma pequena porção do osso, por baixo delas;
  • Posição dos implantes metálicos: substitui-se tanto a cartilagem quanto alguns ossos por componentes metálicos. Isso é importante para fazer com que a articulação seja recriada. No entanto, é preciso saber qual é a melhor posição. Elas podem ser tanto fixadas no osso quanto por cimentação ou pressão;
  • Cobertura da patela: nesse caso, é quando se deve cortar a superfície interna da patela, com um disco plástico. Mas, a depender do caso, o médico pode optar por não fazer a cobertura da patela, mas isso vai variar bastante;
  • Colocação do espaçador: é quando se deve inserir um espaçador plástico cirúrgico, onde o objetivo é criar uma superfície de contato, mas com o menor atrito possível. Deve-se inserir entre os componentes metálicos, para que se torne mais eficaz.

Quando a cirurgia é indicada?

 

Qualquer cirurgia apresenta alguns riscos. Por esse motivo, esse tipo de intervenção não é sempre a melhor opção. Na verdade, o médico deve garantir se o paciente tem condições de passar por esse procedimento. Mas, fora o estado clínico do paciente, deve-se levar em consideração outras razões. O principal objetivo da artroplastia é fazer com que o paciente tenha uma significativa melhora na sua qualidade de vida. Ou seja, situações em que o paciente não tem mais controle suficiente a respeito dos sintomas da sua doença. Então, por mais que o médico ainda deva considerar algumas questões físicas, o fator decisivo são as queixas do paciente. E, caso todos os problemas que o paciente relate não tomem solução por intermédio de nenhum outro meio, aí sim a cirurgia se torna a melhor opção. Por isso, dentre os sintomas mais comuns, capazes de levar o paciente à prótese do joelho, podemos citar:

  • Dor limitante para fazer atividades comuns do dia a dia. Ou seja, é quando, devido a dor, o paciente não consegue ter uma boa qualidade de vida;
  • Restrição de mobilidade, como andar, subir ou descer escadas, vestir-se ou entrar de um veículo. Como também é algo que limita a qualidade de vida do paciente, a cirurgia se torna a melhor opção;
  • Desvio de alinhamento, como o fato de os joelhos ficarem tortos de forma progressiva. Esse é o famoso joelho varo ou valgo, o qual também interfere no dia a dia do paciente;
  • Perda de movimentação do joelho. Quando a doença está avançada, ela pode afetar de tal forma a articulação a ponto dela se tornar mais rija. Nesse caso, ela não estica nem dobra de forma adequada.

A idade é um fator importante?

Sim, o médico precisa tanto levar em consideração a idade quanto o estado geral de saúde do paciente. No entanto, esse está longe de ser um fator decisivo. O intuito dessa cirurgia é fazer com que a pessoa que tem a doença se sinta melhor. O objetivo é sempre promover a qualidade de vida. Então, por mais que o médico considere esses fatores, deve-se tomar essa decisão em conjunto com o próprio paciente. Afinal de contas, é apenas ele quem é capaz de informar o quanto a doença tem lhe atrapalhado. Por isso, pode-se dizer que não há uma restrição absoluta para peso ou idade. A cirurgia tem como base a dor e a limitação de movimento do paciente. Inclusive, a grande parte dos pacientes que passam pela artroplastia tem entre 50 e 80 anos. E a verdade é que as cirurgias desse tipo tem se mostrado um grande sucesso para todas as idades, desde adolescentes com artrite juvenil até aqueles que são mais idosos e que, portanto, adquiriram a artrose degenerativa. Apenas o paciente é capaz de avaliar a sua qualidade de vida e identificar onde, como e em qual intensidade a doença tem afetado o seu dia a dia. Por isso, o médico deve sempre considerar todas as queixas. E, como a medicina tem avançado bastante, a verdade é que esse tipo de intervenção tem se tornado cada vez mais seguro, para pacientes de diversas idades.

Como funciona a avaliação ortopédica?

avaliacao-ortopedica-goiania
Avaliação ortopédica Dr. Ulbiramar Correia

 

 

Por mais que o paciente queira fazer a cirurgia, o médico ainda tem bastante trabalho antes de submetê-lo a isso. Afinal, deve-se saber que o indivíduo vai precisar de uma prótese total de joelho ou uma parcial. Então, o paciente ainda deve passar por uma avaliação ortopédica, até mesmo para saber se, de fato, essa cirurgia se faz necessária. Mas então o que consiste essa avaliação ortopédica? Pode variar, mas, geral, funciona da seguinte maneira:

  • Histórico médico: o cirurgião deve reunir todas as informações gerais a respeito da saúde do paciente. Por isso, ele deve fazer algumas perguntas gerais, em especial quanto à intensidade das dores no joelho ou mesmo a capacidade funcional;
  • Exame físico: nesse caso, avalia todos os movimentos do joelho, desde a estabilidade, força e alinhamento geral do membro;
  • Radiografia: esse é um exame de imagem, o qual também auxilia o médico nessa questão da cirurgia. Através da radiografia, pode-se determinar a extensão dos danos bem como as deformidades no joelho;
  • Outros exames: uma hora ou outra, o médico pode requerer alguns exames de sangue ou mesmo de imagem, só que mais avançado. O exemplo mais claro disso é a ressonância nuclear magnética (RNM). Através dele, pode-se averiguar a condição do osso e dos tecidos moles do joelho.

O cirurgião deve pegar todos os resultados dos exames que solicitou e avaliar, junto a você, quais são as melhores formas de tratar o problema e retomar a sua qualidade de vida. Por isso, além de cirurgia, pode-se indicar medicamentos, fisioterapia ou coisas semelhantes. Mas, caso se chegue à conclusão de que a melhor forma de tratar é, de fato, a artroplastia total de joelho, o médico deve informar todos os riscos que podem acontecer durante ou depois da cirurgia, como o fato de haver rejeição e coisa semelhante.

A prótese total de joelho resolve todos os problemas?

Ainda que você deposite todas as suas esperanças nesse tratamento, não podemos deixar de falar sobre o que pode ou não acontecer após essa intervenção. É claro que, na grande maioria das vezes, o sucesso é garantido. Mas você precisa saber o que acontece depois. Em relação às dores, mais de 90% das pessoas sentem uma grande melhora e redução nos índices de dor. Então, quanto a isso, você pode ficar despreocupado. Sim, você vai poder voltar a fazer as suas atividades comuns do dia a dia. Mas, caso você tente fazer alguma atividade da qual não praticava antes da cirurgia, as chances de conseguir são bem baixas, quase nulas. Fora isso, as atividades comuns como andar, descer ou subir escadas, agachar e praticar esportes físicos leves, por exemplo, são coisas que o paciente vai conseguir fazer. É claro que precisa de um tempo para se adaptar, mas não é nada fora do prumo. Contudo, se o seu intuito é ter atividades intensas como saltar, correr ou fazer giros, saiba que isso não será possível. Por isso, se você quiser manter uma rotina de exercícios, procure pelo médico para que ele lhe indique os mais adequados.

O joelho volta ao movimento natural?

Para que se possa devolver a qualidade de vida do paciente, a artroplastia deve fazer com que se tenha o movimento do joelho. Mas, nesse caso, trata-se apenas de uma movimentação suficiente para que não haja qualquer dificuldade em fazer tarefas do dia a dia. E isso inclui o faro conseguir esticar por completo o joelho, além de dobrá-lo por, pelo menos, 120 graus. Contudo, isso pode variar de acordo com algumas características do próprio paciente. Caso ela já esteja rijo antes da cirurgia, os resultados podem não ser tão completos. Mas, ainda assim, a grande parte dos pacientes conseguem ter um controle de dor e função muito melhor que antes dessa intervenção.

A prótese pode desgastar?

Assim como a nossa articulação sofre de desgastes naturais, é comum que você se pergunte se o mesmo acontece com a prótese, e a resposta é sim. À medida que você tem atividades normais no dia a dia, isso tende a desgastar o implante. Isso acontece porque o joelho começa a apresentar um certo desgaste no espaçador plástico. Ou seja, pode fazer com que a prótese de joelho se torne mais frouxa e, em alguns casos, até mesmo um pouco dolorosa.. Por conta disso, ainda que se possa voltar a ter atividades físicas, a grande parte dos médicos indicam evitar aquelas de alto impacto, pois tendem a desgastar ainda mais a prótese, o que pode exigir uma nova. Contudo, quando se tem os devidos cuidados, praticando apenas aqueles exercícios que o médico está de acordo e que não sejam de grande impacto, a prótese total de joelho pode sim durar por muito mais tempo.

Quanto tempo dura a prótese de joelho?

A cada ano que passa, os implantes têm se tornado cada vez mais modernos e, por isso, ainda mais resistentes. No entanto, ainda assim é comum que as pessoas queiram saber por quanto tempo a prótese do joelho dura. No entanto, isso vai variar de acordo com alguns fatores, em especial o material da prótese. Afinal de contas, há aquelas que conferem mais ou menos durabilidade da prótese. Além do mais, o tempo depende da rotina diária de cada um. Se o paciente fizer exercícios físicos de forma constante, com certeza a sua prótese irá durar muito menos que uma pessoa que pratica apenas nos finais de semana, por exemplo. Então para poder responder essa pergunta, tais dados são essenciais. Mas, nos dias de hoje, mais de 90% das próteses funcionam por mais de 15 anos após a cirurgia. E, mesmo após 25 anos, os índices se mantêm bem altos, na faixa dos 80%. Então, muitas pessoas nem sequer terão de substituir. Um paciente mais velho, após passar pela cirurgia, dificilmente terá de se preocupar em fazer a troca de prótese. Ainda que em pacientes com menos de 60 anos as próteses tendem a ser menores, dificilmente será menos de 15 anos. Mas, além do material e das atividades do paciente, outros pontos que definem o quanto a prótese irá durar dizem respeito se o implante é de qualidade, qual foi a técnica, se teve alguma complicação na cirurgia e coisas semelhantes.

Qual é o procedimento para prótese total de joelho?

protese-total-joelho (4)
Ilustração prótese total de joelho

Certo, houve o consenso de que a prótese total de joelho é a melhor forma de tratar o problema. Mas e agora, como é esse procedimento? A primeira coisa que você deve saber é que a grande parte dos pacientes não precisam de UIT no pós-operatório. Na verdade, muitos deles recebem alta no mesmo dia e podem até retornar para casa. E, por mais que haja toda uma preocupação para que seja uma cirurgia que devolva a qualidade de vida, há uma série de protocolos que não podem ser ignorados. Por conta disso, divide-se essa cirurgia em algumas fases, as quais iremos falar com mais detalhe nos tópicos seguintes.

Avaliação médica

Caso você tenha chegado à conclusão de que está disposto a passar pela cirurgia de prótese total de joelho, o médico deve indicar que o paciente faça uma bateria de exames, até mesmo para que possa preparar a sala de cirurgia. Por isso, nesse caso, o exame físico completo, algumas semanas antes de ser operado, é algo quase que obrigatório. Deve-se fazer isso para confirmar que o paciente está com saúde e é capaz de resistir a essa cirurgia. No entanto, pacientes que têm doenças crônicas mais específicas, como algum problema no coração, devem passar pelo médico especialista da área. Também serve para saber se o paciente é capaz de suportar uma cirurgia.

Exames

É uma fase um pouco diferente da anterior, mas que de certa forma se complementam. Nesse caso, os exames podem ser de sangue, urina ou eletrocardiograma. Sim, eles servem para que o médico entenda sobre como está a sua saúde. Então, através dele, têm-se uma ideia se o paciente irá resistir à cirurgia. Mas, fora isso, esses exames podem ajudar a fazer com que o cirurgião planeje de uma melhor forma a sua cirurgia.

Medicamentos

Antes de fazer a cirurgia, o médico deve saber todos os remédios que você toma ou que está tomando no momento. Ao informar, o médico deve avaliar e lhe informar quais você deve suspender antes de passar pela cirurgia e quais podem manter. Trata-se de uma fase que tem grande importância, uma vez que algum remédio pode interferir na eficácia ou mesmo promover algum agravo.

Avaliação odontológica

Mas o que os dentes têm a ver com a artroplastia? Tudo! E isso acontece porque, algumas bactérias que estão presentes na nossa boca, podem ir para a corrente sanguínea e ocasionar em algum tipo de infecção no joelho. É verdade que os índices de infecção após a cirurgia são bem baixos. Mas, mesmo assim, é essencial se precaver. Por conta disso, antes de fazer a prótese total de joelho, o paciente pode ter que fazer algum tratamento dentário. Pode ser desde algo de grande porte, como extração de dentes ou algum tratamento periodontal, até uma simples remoção de cárie, por exemplo.

Avaliação urinária

Aqueles que têm um histórico de infecção urinária recente ou frequente, precisam passar por uma avaliação urológica antes de fazer a cirurgia. Inclusive, homens mais velhos, que têm alguma doença de próstata, devem concluir o tratamento antes mesmo da cirurgia.

Planejamento social

É bem provável que o paciente já consiga andar com muletas ou andador, após a cirurgia. No entanto, nas primeiras semanas, ter ajuda para tomar banho, lavar roupa, cozinhar ou fazer compras, exige a ajuda de alguma pessoa. Então, caso viva sozinho, informe isso no consultório. Nesse caso, o médico pode entrar em contato com um assistente social, para que possa lhe auxiliar nesse processo pós-operatório na sua casa. Mas ainda há outras soluções. O assistente social pode lhe ajudar a fazer com que você se mantenha por um período mais longo em uma unidade de tratamento, caso seja a melhor solução.

Planejamento doméstico

Querendo ou não, o paciente vai sentir inúmeras mudanças no seu estilo de vida. Por conta disso, deve-se pensar em relação às possíveis modificações que devem ser feitas na residência, a fim de mantê-la mais adaptada. Ao fazer isso, facilita a locomoção e deixa o paciente um pouco mais seguro para fazer algumas atividades sozinho. Por conta disso, assim que possível, deve-se obter os seguintes itens, os quais irão ajudar no dia a dia:

  • Corrimão firmes em todas as escadas;
  • Barras de apoio dentro do boxe ou na banheira;
  • Corrimão ao longo da casa, para facilitar o apoio;
  • Poltrona estável, logo no início da recuperação;
  • Elevador sanitário com braços, nos casos em que o vaso for baixo;
  • Bancada de banho estável ou cadeira para banho etc.

Em relação a poltrona, o ideal é que ele possua um assento firme, com uma altura de pelo menos 45 a 50 cm. Além disso, ainda se deve ter um encosto firme, dois braços e uma banqueta, a fim de elevar os pés uma vez ou outra. Fora isso, como o paciente ainda está em processo de recuperação, ele ainda terá uma certa dificuldade para caminhar. Por conta disso, o ideal é que se remova todos os tapetes soltos ou cabos, a fim de evitar que haja queda. Mas, além de todos esses cuidados, com certeza o mais ideal é preparar um espaço temporário para que o paciente se recupere da melhor forma e evita qualquer risco como possível queda ou evitar que seja necessário subir ou descer escadas.

Como é a cirurgia de prótese total de joelho?

Dito tudo isso, com certeza agora você quer saber como é a cirurgia de prótese total de joelho. Antes de qualquer coisa, como já salientamos no decorrer desse artigo, o médico precisa fazer toda uma avaliação para ter a certeza de que esse procedimento é o mais adequado. Tendo essa certeza, o médico irá fazer todo o preparatório, para que o paciente possa ser direcionado à cirurgia, a qual consiste em:

Anestesia

Logo no dia da cirurgia, o paciente será internado, o qual os médicos ainda devem fazer algumas constatações. Dentre elas, está a escolha da anestesia. Por isso, o médico irá fazer algumas avaliações, junto com os demais integrantes da equipe. Na grande maioria das vezes, o tipo de sedação mais comum é a geral. Ou seja, aquela em que o paciente é colocado para dormir. No entanto, a condição física ou mesmo a própria escolha do paciente não permite esse tipo. Então, nesse caso, pode-se indicar a anestesia raquidiana, peridural ou bloqueio nervoso regional. Ou seja, é quando o paciente se mantém acordado, mas não sente qualquer tipo de dor durante toda a cirurgia, uma vez que bloqueia os sentidos do corpo da cintura para baixo. Apenas a equipe de anestesia irá determinar qual é o melhor tipo. No entanto, também se deve considerar a escolha do próprio paciente.

O procedimento

A primeira pergunta a respeito dessa cirurgia é se ela costuma doer, mas a resposta é não. E isso acontece porque, como salientado no tópico anterior, o paciente fica sob efeito da anestesia que, mesmo quando não é a geral, inibe qualquer tipo de dor. Fora isso, a cirurgia em si não é muito demorada, pode levar de 1 a 2 horas, mais ou menos. Contudo, isso pode variar de acordo com algumas especificações da situação. Então, às vezes, pode durar um pouco mais que isso. Mas como é a cirurgia? É um tanto simples. O cirurgião deve apenas remover a cartilagem e os ossos que estão lesionados. Ao fazer isso, basta colocar os novos implantes metálicos e plástico, a fim de devolver o alinhamento e as funções do joelho. Assim que a cirurgia acaba, o médico leva o paciente para a sala de recuperação, onde irá permanecer por várias horas, até que os efeitos da anestesia se findem. Assim que isso acontece, o paciente é encaminhado para o seu quarto, no hospital.

Quais cuidados se deve tomar no hospital?

No hospital, o paciente deve permanecer por alguns dias. Isso acontece porque é no hospital que se deve monitorar algumas questões relacionadas à recuperação. Por isso, dentre os cuidados que os profissionais devem ter, podemos citar:

Manejo da dor

O ideal é que o paciente não sinta nenhum tipo de dor intensa. Eventualmente, o paciente vai sentir sim algumas pontadas ou coisas parecidas. Por conta disso, no hospital os enfermeiros devem administrar alguns remédios, a fim de diminuir as dores. Esse é um importante passo para a recuperação, pois logo após a cirurgia, o paciente pode caminhar e movimentar o joelho. E, se sentir ainda menos dor, ele consegue fazer isso o quanto antes. Por consequência, a recuperação é mais rápida. Devemos frisar aqui que a dor intensa ou incapacitante não é algo normal. Por conta disso, caso você sinta muito incômodo, o ideal é conversar com o seu médico, para que ele possa fazer novos exames e avaliação.

Prevenir coágulos

Um outro cuidado que se deve ter no hospital diz respeito à prevenção de coágulos sanguíneos. Então, para que isso aconteça, é comum que os médicos prescrevam algumas medidas para evitar esse problema, além de promover a diminuição do inchaço da perna. Por isso, meias de compressão especiais, compressão pneumática e alguns medicamentos para afinar o sangue podem ser essenciais. Movimentar o pé e o tornozelo após a cirurgia aumenta o fluxo sanguíneo dos músculos, e o médico pode indicar esse exercício. Todos esses cuidados são ótimos para prevenir tanto o inchaço quanto a formação de coágulos sanguíneos.

Fisioterapia

Os exercícios para prótese total de joelho devem se iniciar logo no dia seguinte à cirurgia. Mas, nos casos em que o paciente tem uma boa recuperação, isso pode acontecer no próprio dia da intervenção cirúrgica. A fisioterapia é ideal para fazer com que o paciente se recupere mais rápido. Por isso, um profissional deve ensinar alguns cuidados básicos que o paciente deve tomar no dia a dia. Além do mais, deve incluir alguns exercícios. Eles são importantes para restaurar os movimentos do joelho e, dessa forma, fazer com que se possa ter ações básicas do dia a dia, como andar e fazer demais atividades comuns, pouco tempo após a cirurgia. Então, para que isso aconteça de forma ainda mais rápida, o médico pode usar um apoio para o joelho, o qual se move de forma lenta enquanto você está deitado. Esse apoio serve para manter o movimento passivo contínuo. Inclusive, há cirurgiões que acreditam que esse aparelho é capaz de diminuir o inchaço da perna, uma vez que ele um pouco o membro. Por consequência, tende a melhorar também a circulação sanguínea dos músculos da perna.

Prevenção de pneumonia

Outro cuidado que se deve ter após a prótese total de joelho é evitar e prevenir a pneumonia. Devido aos efeitos da anestesia, remédios para dor e o tempo que passa de cama, é normal que o paciente tenha uma respiração superficial. No entanto, essa respiração pode levar a um colapso parcial dos pulmões, capaz de deixar o paciente um pouco mais propenso a desenvolver pneumonia. Então, um dos cuidados que se deve tomar no hospital é a prevenção dela. Para tal, alguns exercícios são fundamentais, como a respiração profunda. A enfermeira ainda pode trazer um aparelho respiratório, o espirômetro. Ele faz com que o paciente respire de forma mais profunda.

Como deve ser a recuperação em casa?

Certo, você já entendeu quais cuidados se deve ter no hospital. Mas, e em casa? Como deve ser a recuperação da prótese total de joelho? O sucesso da cirurgia vai depender de acordo com o quão cuidadoso você é. Por isso, assim que você receber alta, o médico irá lhe passar uma série de instruções que você deve tomar em casa. São elas:

Cuidar da ferida

Depois da cirurgia, é normal que haja alguns grampos e suturas sob a pele ou ferida, na parte frontal dos joelhos. Deve-se remover os pontos apenas algumas semanas após a cirurgia, enquanto a sutura não. Por conta disso, durante todo o processo de recuperação na sua casa, um dos cuidados que você deve tomar diz respeito aos cuidados que se deve ter com a ferida. Evite molhar até que ela esteja bem fechada e seca. Em seguida, é possível continuar a fazer os curativos, a fim de evitar com que as roupas ou meias de compressão lhe causem alguma irritação.

Dieta

Um dos efeitos comuns é que o paciente perca um pouco de apetite por algumas semanas, assim que passa pela cirurgia. No entanto, à medida que o tempo passa, é de grande importância que o paciente se alimente direito. Além de respeitar os horários corretos para comer, deve-se manter uma alimentação equilibrada, rica em alguns nutrientes, como o ferro. Isso acontece porque esse mineral é capaz de ajudar na cicatrização da ferida, bem como restaurar a força muscular.

Atividade física

Além de fisioterapia no hospital, o paciente deve manter esse cuidado assim que obter alta e voltar para a sua casa. Eles são ainda mais importantes logo nas primeiras semanas depois da cirurgia, que é quando o joelho mais precisa. Estima-se que o paciente deva conseguir retomar as suas atividades entre 3 e 6 semanas depois da cirurgia. Mas, para que isso aconteça, ele deve seguir à risca todos os cuidados que o médico instruiu, como atividade física acompanhada. Contudo, é normal sentir um pouco de dor durante as atividades ou mesmo pela noite, mas ela não deve ser incapacitante. Mas como deve ser a atividade física? Isso pode variar, mas, no geral, deve estar incluso:

  • Caminhada gradual, a fim de manter a sua mobilidade, mesmo que de forma lenta;
  • Retomar às atividades domésticas normais, como subir escadas, sentar ou se levantar;
  • Exercícios físicos diversas vezes ao dia, para recuperar e fortalecer o joelho.

Posso fazer os exercícios de prótese total de joelho sozinho? Sim, mas você deve sempre ver com o médico quais exercícios você pode fazer, a fim de evitar qualquer tipo de agravo. E, caso queira, é possível procurar por um fisioterapeuta para lhe ajudar em casa.

Quais são as possíveis complicações da cirurgia?

protese-total-joelho (5)
Cirurgia prótese joelho

Qualquer tipo de cirurgia pode ter os seus riscos, no entanto, é ideal que você esteja ciente de todas elas. Mas, para que você se sinta mais tranquilo, saiba que é bem difícil acontecer algum tipo de complicação na cirurgia de artroplastia. As mais graves acontecem em menos de 2% dos pacientes. Fora isso, acidentes vasculares cerebrais são ainda mais raros. E sim, algumas doenças crônicas podem aumentar as chances de se ter alguma complicação. E essa é uma das razões pelo qual se deve fazer toda uma avaliação médica. Para que se consiga antever os problemas e já tomar possíveis atitudes que evitem algum agravo. Mas, no geral, as complicações que podem acontecer são:

Infecção

Pode ser infecção tanto na ferida quanto de forma profunda, em volta da prótese. Ocorrem tanto enquanto se está no hospital ou em casa. Mas, às vezes, isso pode acontecer apenas alguns anos depois. Se for uma infecção simples, é possível tratar com antibióticos. Agora, caso seja um pouco mais grave, pode demandar outra cirurgia e a remoção da prótese.

Coágulos

No hospital, há essa preocupação em evitar a formação de coágulos. Em suma, eles apresentam um certo risco à vida, caso se soltem e alcancem os pulmões. Por conta disso, o médico deve elaborar um programa de prevenção, a fim de evitar a todo custo esse problema. Avaliação periódica, exercícios para prevenção, meias de compressão e alguns remédios são fundamentais para evitar essa complicação.

Problema com o implante

Ao fazer a prótese total de joelho, por mais que elas sejam alinhadas, a verdade é que as superfícies estão sujeitas ao desgaste. Fora isso, o componente é capaz de afrouxar. Ademais, pode haver cicatrização do joelho, a ponto de limitar os movimentos. Isso ocorre de forma ainda mais comum em pacientes que já tinham uma limitação antes mesmo da cirurgia.

Dor persistente

É bem raro de acontecer. Mas, às vezes, o paciente continua sentindo uma dor intensa, mesmo depois da artroplastia. Como dito, é bem raro, uma vez que a grande parte das pessoas sentem um alívio imenso.

Lesão neurovascular

Também é raro de acontecer. No entanto, às vezes, há lesões nos nervos ou vasos sanguíneos em torno do joelho, durante a cirurgia. Post Anterior: Ortopedista Joelho IOG – Como Marcar Consulta E Planos Atendidos

 

Gostou do artigo? Compartilhe!

Share on pinterest
Pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Precisa de um especialista em Joelho?

Agende uma consulta agora

Dr. Ulbiramar Correia

Ortopedia, Traumatologia, Medicina Esportiva & Cirurgia de Joelho.

Dr. Ulbiramar Correia atua há mais de 10 anos em Goiânia e tem expertise em diversos tipos de cirurgia do joelho, como artroscopia, prótese do joelho e medicina esportiva. Em mais de uma década, trata as mais variadas condições médicas que podem acometer os joelhos, dentre elas doenças ósseas, traumatismo, instabilidade articular, luxação, luxação patelar, artrose, osteoartrite, doenças musculoesqueléticas, lesões da cartilagem articular, meniscos e de ligamentos cruzados do joelho.

Especialidades

LCA goiania

Cirurgia Ligamento Cruzado Anterior – LCA

O Ligamento Cruzado Anterior (LCA), um dos quatro principais ligamentos do joelho, é composto por um resistente “cordão” de tecido fibroso em formato de “x” que conecta o fêmur (osso da coxa) à tíbia (osso da perna). A principal função do LCA é dar estabilidade ao joelho no sentido de rotação, preservando, desse modo, estruturas internas como meniscos e cartilagens. O LCA é essencial para que as pessoas consigam realizar tarefas diárias como sair do carro, ocasião em que após colocar o pé no chão o indivíduo gira o corpo sobre o joelho. Lesões do LCA são frequentes em atletas

Leia mais
doencas-joelho-goiania

Doenças Musculoesqueléticas

O que são doenças musculoesqueléticas? Tendinite no joelho é uma delas Segundo o Centro de Dor e Neurocirurgia Funcional do Hospital 9 de Julho, de São Paulo, 90% da população sofre por causa de dores musculoesqueléticas, fato que leva 30% a faltar no trabalho. Essas dores, geralmente, podem ser sinais de doenças musculoesqueléticas, como tendinite no joelho, bursite, entesopatia, dentre outras. Se não tratadas, essas enfermidades podem comprometer a qualidade de vida e, em casos crônicos, levar à invalidez. Embora os números da pesquisa sejam significativos, boa parte da população não sabe como as doenças musculoesqueléticas se manifestam, nem o

Leia mais
osteoartite-joelho-goiania

Osteoartrite do Joelho

Osteoartrite? Consulte médico especialista em Joelho em Goiânia Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que a osteoartrite, também denominada de artrose, é a quarta doença que mais reduz a qualidade de vida para cada ano vivido. Ainda segundo a instituição, 80% dos indivíduos com osteoartrite possuem limitações de movimento e 25% não conseguem realizar atividades do dia a dia como caminhar ou subir escadas, por exemplo. Embora seja conhecida por afetar idosos com mais de 60 anos, pois tem caráter degenerativo, uma pesquisa da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT) revela que 20% dos brasileiros na faixa

Leia mais
instabilidade-articular-joelho-goiania

Instabilidade Articular: causas, diagnóstico e tratamentos

Instabilidade articular? Vá ao médico especialista em Joelho Você já se desequilibrou andado ou sentiu dor carregando algo mais pesado? Acontece com frequência? Se sua resposta for sim, é hora de procurar avaliação de um médico especialista em Joelho, pois você pode estar sofrendo com instabilidade articular. Esse problema, que pode ter origem congênita (de nascença) ou adquirida, ocorre quando os ligamentos do joelho estão enfraquecidos e pode envolver outras estruturas como músculos, cartilagem articular e meniscos. Dentre os principais ligamentos do joelho estão: Ligamento Cruzado Anterior (LCA), Ligamento Colateral Lateral (LCL), Ligamento Colateral Medial (LCM) e Ligamento Cruzado Posterior

Leia mais
luxacao-joelho-goiania

Luxação do Joelho

Luxou o joelho? Consulte o médico especialista em Joelho em Goiânia Embora já tenha sido conhecida como uma entorse rara, cresceu consideravelmente nos últimos anos os casos de luxação do joelho no Brasil, isso se deve ao expressivo número de acidentes de trânsito, principalmente envolvendo motos, e a quantidade crescente de praticantes de exercícios físicos. Considerada uma das lesões mais graves, decorrente de trauma direto ou indireto, a luxação do joelho acontece quando existe desencaixe dos ossos da articulação e a ruptura de pelo menos 2 dos quatro principais ligamentos do Joelho – Ligamento Cruzado Anterior (LCA), Ligamento Colateral Medial

Leia mais
lesoes-joelho-goiania

Lesões do Joelho

Cartilagem articular e meniscos são afetados por lesões do joelho? O joelho, uma das maiores articulações do corpo humano, é composto pelo fêmur, tíbia e patela. Todos esses ossos são ligados por várias estruturas, como ligamentos, tendões, cartilagem e menisco. Por ser um membro bastante solicitado no dia a dia para diversas atividades cotidianas, o joelho é uma das áreas que mais sofre lesões diretas e indiretas. Rompimento do Ligamento Cruzado Anterior (LCA), condromalácia, tendinite, luxação patelar, lesão do menisco, rompimento do Ligamento Cruzado Posterior (LCP), dentre outras, são os principais traumas que acometem os joelhos. Detalhes sobre essas lesões

Leia mais

Venha até nós

Precisa de atendimento?

Fale Conosco