A entesopatia no joelho é uma condição que pode limitar significativamente a mobilidade e a qualidade de vida dos pacientes, por isso é importante compreender seus sintomas, causas e tratamentos disponíveis.

A prevenção e o acompanhamento adequados são igualmente cruciais para evitar complicações futuras.

Por meio deste conteúdo, iremos discutir os principais sintomas de entesopatia no joelho, além de como tratar e prevenir essa condição.

Conhecer os sinais e sintomas pode ajudá-lo a identificar o problema em estágio inicial e buscar tratamento apropriado, possibilitando uma melhor recuperação e evitando maiores danos ao joelho.

Vamos abordar também estratégias eficazes de prevenção da entesopatia no joelho, para que você possa manter-se ativo e saudável.

Tópicos

O que é Entesopatia no Joelho e Como Identificar

Entesopatia no joelho é uma condição caracterizada pela inflamação e dor nas áreas onde os tendões e ligamentos se inserem no osso.

Vários fatores podem contribuir para o desenvolvimento da entesopatia, entre os quais a instabilidade patelar se destaca como uma causa relevante.

Instabilidade Patelar e Entesopatia: A Conexão

A instabilidade patelar ocorre devido a alterações anatômicas como patela alta, tróclea rasa e TAGT maior que 20 mm.

Essas condições tornam a patela propensa a desencaixar de sua posição normal, levando ao estresse excessivo nos tendões e ligamentos responsáveis por estabilizá-la, aumentando assim o risco de entesopatia no joelho.

Sintomas Comuns de Entesopatia no Joelho

Os sintomas de entesopatia no joelho são variados e podem incluir:

  • Dor intensa e limitante durante episódios agudos de luxação da patela;
  • Desconforto persistente na área do joelho afetado;
  • Inchaço;
  • Rigidez;
  • Percepção de instabilidade patelar e insegurança para realizar atividades como esportes ou dança.

O diagnóstico da entesopatia no joelho é obtido com base na avaliação clínica, exame físico e também por meio de exames de imagem como radiografia e tomografia computadorizada, que ajudam a confirmar a presença de alterações anatômicas e a avaliação da estrutura óssea e cartilaginosa envolvida no problema.

Entender a conexão entre a instabilidade patelar e entesopatia é fundamental para prevenir e tratar efetivamente essa condição dolorosa.

O diagnóstico precoce e correto da entesopatia no joelho é crucial para estabelecer um plano de tratamento adequado e melhorar a qualidade de vida dos pacientes afetados.

Principais Causas da Entesopatia no Joelho

Principais Causas da Entesopatia no Joelho

Entender as causas da entesopatia no joelho é fundamental para prevenir e tratar essa condição. Há dois motivos principais para o desenvolvimento da entesopatia no joelho: alterações anatômicas e lesões esportivas.

As alterações anatômicas aumentam o risco de instabilidade patelar, o que, por sua vez, pode desencadear a entesopatia.

Alguns exemplos de alterações anatômicas que contribuem para a instabilidade incluem patela alta, tróclea rasa e um TAGT (ângulo de troclea-glide patelar) maior que 20 mm.

As lesões esportivas, por outro lado, são causadas por traumatismos como entorses e torções que rompem o ligamento patelofemoral medial (LPFM), desestabilizando a patela.

Atletas e praticantes de atividades físicas que exigem movimentos repetitivos e intensos estão mais propensos a sofrer essas lesões.

Algumas causas da entesopatia no joelho:

  1. Alterações anatômicas;
  2. Lesões esportivas.

É importante ressaltar que nem todos os casos de entesopatia são resultado dessas causas. Em alguns pacientes, a condição pode ser desencadeada por fatores genéticos, doenças sistêmicas ou outras condições subjacentes. – Dr. Ulbiramar Correia, Ortopedista Especialista em Joelho.

Portanto, o diagnóstico adequado e um plano de tratamento individualizado são cruciais para o sucesso na recuperação da entesopatia no joelho.

Fatores de Risco para Desenvolver Entesopatia no Joelho

A entesopatia no joelho é um problema que pode afetar as pessoas devido a diversos fatores de risco. Entre os principais, estão as alterações anatômicas e a predisposição esportiva.

Descubra melhor os fatores que contribuem para o desenvolvimento dessa condição e a importância de levar em conta esses riscos para prevenção e tratamento.

Alterações Anatômicas e Predisposição Esportiva

As alterações anatômicas no joelho, como patela alta, tróclea rasa e um TAGT elevado, aumentam o risco de desenvolver entesopatia no joelho.

Essas características estruturais tornam o joelho mais instável, favorecendo a ocorrência de lesões e inflamações nas enteses.

Por outro lado, a predisposição esportiva também pode estar diretamente relacionada ao desenvolvimento de entesopatia no joelho.

Atletas e praticantes de atividades que exigem maior movimentação e impacto na articulação do joelho, como corrida e dança, estão mais propensos a sofrer lesões ligamentares, como a ruptura do ligamento patelofemoral medial (LPFM).

O seguinte auxilio pode te ajudar a entender mais os fatores de risco associados à entesopatia no joelho:

  1. Lesões anteriores no joelho;
  2. Excesso de peso corporal;
  3. Idade avançada;
  4. Excesso de treinamento ou falta de treinamento adequado;
  5. Alterações no alinhamento do joelho.

É fundamental estar ciente desses fatores de risco para tomar precauções necessárias e cuidar da saúde do joelho, evitando o aparecimento ou agravamento da entesopatia no joelho.

Diagnóstico da Entesopatia no Joelho: Procedimentos e Exames

Diagnostico da Entesopatia no Joelho Procedimentos e

O diagnóstico da entesopatia no joelho é baseado na avaliação clínica dos sintomas e na realização de exames de imagem.

Essa combinação permite identificar as causas anatômicas de instabilidade e avaliar o estado da cartilagem patelar e troclear.

Os exames de imagem são de extrema importância no diagnóstico de entesopatia no joelho, pois fornecem informações detalhadas sobre a estrutura e a função das articulações.

Esses exames são:

  • Radiografia: Serve para uma análise geral dos ossos e das articulações, permitindo a identificação de alterações ósseas, além de avaliar o desalinhamento patelar;
  • Tomografia: Oferece imagens mais detalhadas das estruturas internas do joelho, possibilitando detectar alterações na cartilagem, bem como auxiliar na identificação de fatores de risco para instabilidade patelar.

A partir dos resultados obtidos nos exames de imagem e da análise clínica, o médico poderá determinar a melhor abordagem de tratamento para o paciente com entesopatia no joelho, levando em consideração a idade, a atividade física e outros fatores relevantes.

Importância dos Exames de Imagem

O diagnóstico correto e precoce da entesopatia no joelho é fundamental para prevenir complicações ou danos permanentes na articulação.

Assim, a realização de exames de imagem, como radiografia e tomografia, é imprescindível neste processo.

Além disso, esses exames podem auxiliar na monitorização da evolução do tratamento e ajudar a prevenir a recorrência da instabilidade patelar.

Por isso, é fundamental manter um acompanhamento médico regular e realizar os exames conforme a orientação do profissional.

Tratamento para Entesopatia no Joelho: Opções Conservadoras e Cirúrgicas

O tratamento para entesopatia no joelho varia de acordo com a idade do paciente, atividade, profissão e grau de instabilidade.

As abordagens para essa condição podem ser divididas em duas categorias principais: tratamento conservador e tratamento cirúrgico.

  1. Tratamento conservador: Essa abordagem é recomendada para casos leves a moderados de entesopatia no joelho e consiste principalmente em fisioterapia e fortalecimento muscular. A fisioterapia tem como objetivo melhorar a função do joelho e reduzir a dor, enquanto o fortalecimento dos músculos ao redor da articulação patelofemoral ajuda a estabilizar e proteger o joelho.
  2. Tratamento cirúrgico: Em casos de entesopatia no joelho mais graves, com alterações anatômicas significativas ou instabilidade persistente, uma intervenção cirúrgica pode ser necessária. As cirurgias mais comuns incluem reconstrução do ligamento patelofemoral medial (LPFM) e correção das deformidades ósseas.

Quando escolher o tratamento conservador

A escolha do tratamento conservador é geralmente indicada para pacientes com entesopatia no joelho em estágios iniciais ou com sintomas leves.

Nesses casos, fisioterapia e fortalecimento muscular podem ser suficientes para melhorar a função e a qualidade de vida e evitar a necessidade de uma intervenção cirúrgica.

Quando optar pelo tratamento cirúrgico

O tratamento cirúrgico é indicado para pacientes com instabilidade persistente ou deterioração acentuada da função e qualidade de vida.

Também pode ser recomendado quando a causa da entesopatia no joelho está relacionada a alterações anatômicas significativas que não são tratadas adequadamente com abordagens conservadoras.

Em resumo, o tratamento para entesopatia no joelho é individualizado e depende de diversos fatores, como a idade do paciente, atividade, profissão e gravidade da condição.

O acompanhamento médico é fundamental para definir a melhor abordagem terapêutica e garantir uma recuperação efetiva e melhor qualidade de vida.

Reconstrução LPFM no Tratamento de Entesopatia

A reconstrução LPFM constitui uma importante opção cirúrgica no tratamento da entesopatia no joelho, proporcionando estabilização e melhora dos sintomas.

Essa cirurgia para entesopatia no joelho é especialmente indicada em casos de lesão traumática ou quando há alterações anatômicas significativas que levam à instabilidade patelar.

Vale destacar que a reconstrução do ligamento patelofemoral medial (LPFM) busca restabelecer a função normal do ligamento e corrigir as deformidades que comprometem a mobilidade e a qualidade de vida do paciente.

Vejamos abaixo algumas situações em que essa abordagem cirúrgica é recomendada:

  1. Presença de lesões traumáticas que comprometem a função do LPFM;
  2. Alterações anatômicas que condicionam instabilidade patelar persistente, apesar do tratamento conservador;
  3. Dor e limitação funcional que afetam significativamente a qualidade de vida do paciente.

A cirurgia para entesopatia no joelho é um procedimento que exige habilidade cirúrgica apropriada e experiência do médico especializado em ortopedia.

Após a intervenção, o paciente deve passar por um período de reabilitação, com ênfase no fortalecimento dos músculos e na recuperação da amplitude de movimento do joelho.

Para garantir uma recuperação adequada e resultados satisfatórios, o paciente deve seguir rigorosamente as recomendações do médico e do fisioterapeuta, adotando medidas como:

  • Uso de órtese ou imobilização temporária, se indicado;
  • Participação ativa em sessões de fisioterapia e exercícios específicos;
  • Adaptação gradual às atividades diárias e esportivas, conforme orientação profissional;
  • Manutenção de hábitos de vida saudáveis, incluindo alimentação equilibrada e prática regular de exercícios físicos.

Ou seja, a reconstrução LPFM representa uma abordagem cirúrgica eficaz no tratamento da entesopatia no joelho.

A escolha por essa técnica deve ser baseada em critérios clínicos e anatômicos, levando em consideração as necessidades individuais de cada paciente para garantir a otimização dos resultados e a retomada de uma vida ativa e livre de dor.

Fisioterapia para Entesopatia no Joelho: Exercícios e Recuperação

Fisioterapia para Entesopatia no Joelho Exercicios e Recuperacao

A fisioterapia para entesopatia no joelho é um tratamento essencial que visa a recuperação e alívio dos sintomas, além de atuar também na prevenção de futuros problemas no joelho.

Para alcançar os melhores resultados, é importante focar nos exercícios que fortalecem os músculos em torno do joelho e melhoram a sua flexibilidade.

Dessa forma, é possível manter o posicionamento adequado da patela, reduzir a dor e prevenir deslocamentos.

Os Benefícios do Fortalecimento Muscular

O fortalecimento muscular é muito benéfico no tratamento de entesopatia no joelho.

Manter os músculos do quadríceps e do tendão patelar fortalecidos é uma estratégia eficiente para reduzir o estresse e o atrito na articulação do joelho, melhorando assim a estabilidade e a capacidade de movimento.

Algumas das principais vantagens do fortalecimento muscular no tratamento dessa condição:

  • Redução da dor e do inchaço;
  • Recuperação mais rápida após eventos traumáticos;
  • Maior estabilidade e mobilidade do joelho;
  • Prevenção de futuros episódios de instabilidade patelar e lesões.

Agora vamos abordar alguns exercícios para entesopatia no joelho que podem ser realizados sob a orientação e supervisão do fisioterapeuta:

  1. Extensão de perna sentada: Sente-se em uma cadeira com um pé apoiado no chão e o outro perna estendida à frente. Contraia o quadríceps da perna estendida e segure por alguns segundos. Retorne à posição inicial e repita o exercício de 8 a 12 vezes em cada perna.
  2. Ponte: Deite-se de costas com os pés apoiados no chão e os joelhos dobrados. Levante o quadril do chão, contraindo os glúteos e quadríceps. Mantenha a posição por alguns segundos e então retorne à posição inicial. Realize o exercício de 8 a 12 vezes.
  3. Agachamento: Fique de pé com os pés afastados na largura dos ombros. Flexione os joelhos e os quadris, como se fosse sentar em uma cadeira. Os joelhos devem ficar alinhados com os pés e evitar ultrapassar a linha dos dedos dos pés. Retorne à posição inicial e repita de 8 a 12 vezes.

Esses são apenas alguns exemplos de exercícios para entesopatia no joelho que podem ser incluídos em seu programa de fisioterapia.

Sempre realize os exercícios com a orientação de um profissional qualificado e consulte o fisioterapeuta ou médico para quaisquer dúvidas ou preocupações.

Entesopatia no Joelho Crônica: Gerenciamento e Cuidados

A entesopatia no joelho crônica é uma condição complexa que requer atenção e cuidado constante por parte dos pacientes e profissionais de saúde.

O gerenciamento adequado da entesopatia no joelho crônica envolve uma série de medidas e estratégias que visam minimizar os sintomas e retardar a progressão da doença. A seguir, abordaremos algumas dessas medidas que podem ajudar a melhorar a vida dos pacientes.

Primeiramente, é fundamental que o paciente mantenha um acompanhamento médico regular com um especialista em ortopedia ou medicina esportiva.

Esses profissionais são capacitados para avaliar clinicamente o joelho e orientar o paciente no manejo adequado da entesopatia no joelho crônica.

Além disso, é crucial manter um programa de fisioterapia supervisionado e personalizado, com o objetivo de fortalecer os músculos ao redor do joelho, melhorar a mobilidade e estabilizar a articulação.

A fisioterapia pode incluir:

  • Exercícios de alongamento e fortalecimento muscular;
  • Terapia manual;
  • Uso de equipamentos específicos, como faixas elásticas e bolas de estabilidade;
  • Treino de equilíbrio e propriocepção.

Além das medidas terapêuticas, o paciente deve estar atento a possíveis ajustes no seu estilo de vida. Isso inclui melhorar seus hábitos alimentares, manter um peso corporal saudável e evitar atividades de alto impacto ou movimentos que aumentem a pressão sobre a articulação do joelho.

Também é importante utilizar calçado adequado e, se necessário, órteses e dispositivos de apoio indicados pelo médico.

Ou seja, gerenciamento da entesopatia no joelho crônica requer uma abordagem integrada e multidisciplinar, envolvendo profissionais de saúde, fisioterapeutas e, principalmente, o próprio paciente.

Ao seguir as orientações médicas, manter as atividades de fisioterapia e adotar hábitos saudáveis, é possível conviver com a entesopatia no joelho de forma menos dolorosa e restritiva.

Prevenção da Entesopatia no Joelho: Hábitos Saudáveis e Precauções

A prevenção da entesopatia no joelho é essencial para evitar problemas futuros e manter a saúde do joelho. Adotar hábitos saudáveis e medidas de precaução podem minimizar o risco de desenvolver essa condição. Veja a seguir algumas dicas e orientações a serem consideradas no dia a dia.

Dicas para Prevenção no Dia a Dia

Mudanças positivas no estilo de vida podem ser benéficas para manter a saúde do joelho. Aqui estão algumas dicas para ajudar na prevenção da entesopatia no joelho:

  1. Exercícios físicos regulares: Manter uma rotina de exercícios pode ajudar a fortalecer a musculatura envolvida na estabilização do joelho e, assim, diminuir as chances de desenvolver entesopatia no joelho.
  2. Controle do peso: Manter um peso saudável é importante para reduzir a carga e o estresse sobre as articulações do joelho. Isso pode prevenir o surgimento de problemas como a entesopatia.
  3. Evitar movimentos prejudiciais: Algumas atividades, como saltos repetitivos e movimentos bruscos, podem exercer um estresse excessivo nas articulações do joelho. Portanto, evite esses movimentos sempre que possível.

A Importância da Ergonomia e Postura

A ergonomia e a postura correta são cruciais no processo de prevenção da entesopatia no joelho. Adotar uma boa postura durante atividades que exigem esforços ou movimentos repetitivos reduz a sobrecarga nas articulações do joelho e é benéfico para a saúde geral dos membros inferiores.

Aqui estão algumas recomendações ergonômicas a serem consideradas:

  • Posicionamento do joelho: Tenha a certeza de que seus joelhos estão alinhados com os pés e os quadris ao longo do dia, seja em pé, sentado ou durante atividades físicas.
  • Suporte para os pés: Utilizar apoios para os pés adequados, principalmente em atividades prolongadas ou em ambientes de trabalho, garante uma distribuição uniforme de peso e alivia a tensão no joelho.
  • Calçados adequados: Sapatos bem ajustados e com um bom suporte para o arco do pé ajudam na manutenção de uma postura adequada ao longo do dia e impactam diretamente no bem-estar do joelho.

Adotar hábitos saudáveis e dar atenção à ergonomia e postura correta são medidas que auxiliam na prevenção da entesopatia no joelho.

Consulte um profissional de saúde para orientações adaptadas às suas necessidades específicas e mantenha as articulações do joelho saudáveis ao longo do tempo.

Entesopatia no Joelho Bilateral: Entendendo a Condição

A entesopatia no joelho bilateral é uma condição em que ambos os joelhos são afetados simultaneamente, o que pode causar dor e limitação funcional substanciais.

Muitas vezes, essa condição está relacionada às inflamações sistêmicas crônicas, como espondiloartropatias, exigindo uma abordagem terapêutica e de acompanhamento diferenciada.

Além do tratamento específico para a entesopatia no joelho, é necessário abordar a causa principal da inflamação bilateral da articulação.

Conhecer os fatores que contribuem para a entesite e compreender como controlá-los e diminuir possíveis riscos é crucial para assegurar uma recuperação mais efetiva e prevenir recidivas.

Principais característica e causas da entesopatia bilateral

A entesopatia no joelho bilateral geralmente origina-se de uma combinação de fatores como predisposição genética, idade, sexo e exposição a diversos agentes externos.

As principais características dessa condição:

  1. Dor bilateral no joelho;
  2. Limitação funcional progressiva;
  3. Mobilidade da articulação reduzida;
  4. Início insidioso;
  5. Agudização e alívio periódicos dos sintomas.

Em alguns casos, a entesopatia no joelho pode ser desencadeada por lesões traumáticas e esportivas, que afetam ambos os joelhos simultaneamente.

Além dessas lesões, outras condições de saúde também podem contribuir para o desenvolvimento da entesopatia nos dois joelhos, como:

  • Espondiloartropatias;
  • Artrite reumatoide;
  • Lúpus eritematoso sistêmico;
  • Artrite psoriásica;
  • Osteoartrite.

Tratamento e acompanhamento da entesopatia bilateral

O tratamento para a entesopatia no joelho bilateral deve ser personalizado de acordo com a condição específica de cada paciente.

O objetivo principal é controlar a inflamação, proporcionar alívio da dor e melhorar a função e mobilidade da articulação. Algumas opções de tratamento podem incluir:

  1. Medicação anti-inflamatória;
  2. Fisioterapia;
  3. Exercícios de fortalecimento muscular;
  4. Controle do peso;
  5. Modificação da atividade e uso de órteses.

O sucesso do tratamento da entesopatia no joelho bilateral depende do acompanhamento com profissionais de saúde especializados, como reumatologistas e ortopedistas, bem como da adesão do paciente às orientações fornecidas.

É fundamental mencionar que o tratamento e o manejo adequados da condição são cruciais para garantir uma melhora significativa na qualidade de vida e proporcionar um alívio prolongado dos sintomas.

Tratamento para entesopatia no joelho em Goiânia

O tratamento da entesopatia no joelho em Goiânia envolve abordagens personalizadas para aliviar a dor, melhorar a mobilidade e prevenir futuras complicações.

Sob a orientação do Dr. Ulbiramar Correia, especialista em ortopedia, os pacientes têm acesso a tratamentos eficazes que combinam fisioterapia, fortalecimento muscular e, em casos mais graves, intervenções cirúrgicas.

A fisioterapia é fundamental no tratamento da entesopatia, focando no fortalecimento dos músculos ao redor do joelho e melhoria da flexibilidade.

Para casos que exigem uma abordagem mais intensiva, a reconstrução do Ligamento Patelofemoral Medial (LPFM) e outras técnicas cirúrgicas são consideradas para restaurar a estabilidade e função do joelho.

Lembramos que cada paciente é único e requer um plano de tratamento adaptado às suas necessidades específicas.

Se você está enfrentando sintomas de entesopatia no joelho e busca um tratamento eficaz em Goiânia, agende sua consulta com o Dr. Ulbiramar Correia.

Sua expertise e abordagem cuidadosa garantem o melhor caminho para a recuperação e manutenção da sua saúde articular.

Conclusão

A entesopatia no joelho é uma condição que pode afetar significativamente a mobilidade e a qualidade de vida dos pacientes.

Para garantir a melhora dos sintomas e a prevenção de futuras complicações, é crucial reconhecer os sintomas precocemente e entender as causas e fatores de risco associados a essa doença.

O tratamento adequado para a entesopatia no joelho pode variar entre abordagens conservadoras, como fisioterapia e fortalecimento muscular, e cirúrgicas, quando necessário.

A fisioterapia desempenha um papel fundamental na recuperação e na prevenção de recorrências, sendo importante manter uma rotina de exercícios físicos regulares e adotar posturas corretas durante as atividades diárias.

O manejo adequado da entesopatia no joelho engloba o diagnóstico correto, a escolha do tratamento mais indicado, o acompanhamento com profissionais de saúde e a adoção de hábitos saudáveis para a prevenção e o controle dos sintomas.

Dessa forma, os pacientes podem recuperar sua qualidade de vida e evitar a progressão da doença.

Perguntas Frequentes

O que é entesopatia no joelho?

A entesopatia no joelho é uma condição que envolve a inflamação e dor onde os tendões e ligamentos se inserem no osso do joelho. Frequentemente se manifesta como resultado de instabilidade patelar e pode limitar significativamente a mobilidade e qualidade de vida dos pacientes.

Quais são os sintomas comuns de entesopatia no joelho?

Os sintomas da entesopatia no joelho incluem dor intensa e limitante durante episódios agudos de luxação da patela, sensação de instabilidade patelar e dificuldade para realizar atividades como esportes ou dança.

Quais são as principais causas da entesopatia no joelho?

As principais causas da entesopatia no joelho são as alterações anatômicas que aumentam o risco de instabilidade patelar e lesões esportivas. Traumatismos como entorses podem romper o ligamento patelofemoral medial (LPFM), desestabilizando a patela.

Como a entesopatia no joelho é diagnosticada?

O diagnóstico da entesopatia no joelho é clínico e apoiado por exames de imagem como radiografias e tomografia, que ajudam a identificar causas anatômicas de instabilidade e avaliação do estado da cartilagem patelar e troclear.

Quais são as opções de tratamento para entesopatia no joelho?

O tratamento da entesopatia no joelho varia de acordo com a idade do paciente, atividade, profissão e grau de instabilidade. Opções conservadoras incluem fisioterapia e fortalecimento muscular, enquanto casos mais graves com alterações anatômicas ou instabilidade persistente podem necessitar de cirurgia, incluindo reconstrução do LPFM e correção das deformidades ósseas.

Qual é o papel da fisioterapia no tratamento da entesopatia no joelho?

A fisioterapia desempenha um papel fundamental na recuperação da entesopatia no joelho, através do fortalecimento dos grupos musculares ao redor do joelho e da realização de exercícios específicos que ajudam a manter o posicionamento adequado da patela e a prevenir deslocamentos.

Como posso prevenir a entesopatia no joelho?

Para prevenir a entesopatia no joelho, é recomendável adotar uma rotina de exercícios físicos regulares, manter um peso corporal saudável, evitar movimentos que causem estresse excessivo nas articulações do joelho e manter a ergonomia e posturas corretas durante atividades que exijam esforço ou repetição.

O que é entesopatia no joelho bilateral?

A entesopatia bilateral no joelho representa um quadro em que ambos os joelhos são afetados, muitas vezes relacionado a condições inflamatórias sistêmicas crônicas como spondyloarthropathies, requerendo uma abordagem terapêutica e de acompanhamento diferenciada.

Ortopedista especialista em joelho [CRM/GO: 11552 | SBOT: 12166 | RQE: 7240]. Membro titular da SBCJ (sociedade brasileira de cirurgia do joelho), SBRATE (sociedade brasileira de artroscopia e trauma esportivo) e da SBOT(sociedade brasileira de ortopedia e traumatologia).