(62) 3089-0978
uc.ortopedia@gmail.com
Rua S-6, 146 , 1°andar, Setor Bela Vista, Goiânia

Lesões do Joelho

Cartilagem articular e meniscos são afetados por lesões do joelho?

O joelho, uma das maiores articulações do corpo humano, é composto pelo fêmur, tíbia e patela. Todos esses ossos são ligados por várias estruturas, como ligamentos, tendões, cartilagem e menisco. Por ser um membro bastante solicitado no dia a dia para diversas atividades cotidianas, o joelho é uma das áreas que mais sofre lesões diretas e indiretas.

Rompimento do Ligamento Cruzado Anterior (LCA), condromalácia, tendinite, luxação patelar, lesão do menisco, rompimento do Ligamento Cruzado Posterior (LCP), dentre outras, são os principais traumas que acometem os joelhos. Detalhes sobre essas lesões supracitadas estão disponíveis aqui no site. Neste texto, os destaques serão lesão da cartilagem articular e menisco.

 

O que é cartilagem articular do joelho e qual a sua função?

A cartilagem articular do joelho é um tecido constituído por bastante água, cerca de 66 % a 80%, e possui quatro camadas, sendo responsável por revestir a superfície óssea, reduzir atritos entre as superfícies articulares, proteger os ossos e, ainda, funciona como um amortecedor, absorvendo e distribuindo os impactos recebidos pelo joelho. Por ser um tecido menos vascularizado (não tem suprimento sanguíneo próprio), quando ocorrem lesões, possui capacidade limitada de reparo.

 

O que pode causar lesões na cartilagem articular do joelho?

Geralmente, as lesões decorrem de processos degenerativos, como envelhecimento; acidentes de trânsito; obesidade; sobrepeso; mau alinhamento do joelho; excesso de exercício físico, etc. Caso a cartilagem esteja danificada ou desgasta, o paciente pode ser acometido por dores, rigidez e ter dificuldades para realizar movimentos de flexão e extensão.

 

Diagnóstico para lesões da cartilagem articular do joelho

A dor, que varia de acordo com a localização do trauma, é o principal sintoma de uma lesão na cartilagem articular do joelho, e pode estar ligada a inchaços (edema) e estalos (crepitações). Um dos exames mais importantes para diagnosticar esse tipo de problema cartilaginoso é a ressonância magnética, pois através desse método é possível ver a localização, o tamanho e a profundidade da lesão, fator crucial para classificá-la e também escolher o tratamento mais adequado.

Confira abaixo a classificação das lesões da cartilagem articular do joelho:

 

Grau I: amolecimento da cartilagem e inchaço;

Grau II: lesão visível, porém, menos de 50% da espessura da cartilagem é afetada;

Grau III: lesão aguda, mais de 50% da espessura da cartilagem é comprometida;

Grau VI: 100% da cartilagem é comprometida e o osso fica exposto.

 

O tratamento para esse tipo de lesão é similar ao de outros problemas que acometem os joelhos. Desse modo, quem determinará o melhor recurso terapêutico é o ortopedista especialista em Joelho, que poderá ser conservador (sem cirurgia) ou cirúrgico.

 

O que é menisco? O que pode causar lesão meniscal?

Meniscos são cartilagens que ajudam amortecer impactos, auxiliam na lubrificação, movimentos e dão estabilidade à articulação. Por ser fundamental para o perfeito funcionamento do joelho, lesões nessa cartilagem são comuns.

Sobrepeso, obesidade, artrose, artrite, pancada forte nos joelhos, fazer exercícios como agachamentos de forma errada e sobrecarregar as penas ao levantar muito peso são algumas situações que podem causar lesão no menisco.

Esse tipo de lesão na cartilagem comumente afeta pessoas acima dos 40 anos, pois nessa faixa etária os meniscos podem apresentar algum grau de desgaste, o que os torna mais frágeis. Todavia, jovens também podem ser acometidos por lesões meniscais, principalmente após sofrer trauma de maior energia.

 

Quais os sintomas e como é feito o diagnóstico de lesão no menisco?

Dor intensa na região lateral e anterior do joelho; edema (inchaço); dificuldade ou impossibilidade de realizar alguns movimentos, como caminhar; e rigidez são alguns dos principais sintomas de lesões meniscais –  esses variam de acordo com a gravidade do caso.

O diagnóstico para saber se o paciente teve lesão no menisco é feito através de exame físico detalhado, momento em que o ortopedista avalia os movimentos de rotação e flexão do joelho, etc. No entanto, o médico também pode solicitar radiografia e ressonância magnética. Esses exames auxiliares ajudarão identificar o local e o tipo de lesão.

 

Quais são os tratamentos para lesão meniscal?

O tratamento para lesão meniscal tem como objetivo diminuir a dor no joelho. Desse modo, o recurso terapêutico adotado dependerá do tamanho, idade do paciente, local da ruptura, gravidade da lesão, etc. O médico especialista em Joelho pode indicar repouso, utilização de compressa de gelo, ingestão de anti-inflamatórios e analgésicos, infiltração, sessões de fisioterapia, dentre outros.

Caso o tratamento conservador (sem cirurgia) não surta efeito, o procedimento cirúrgico pode ser a melhor opção. Geralmente, o ortopedista realiza uma artroscopia.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Precisa de um especialista em Joelho?

Agende uma consulta agora

Blog

Especialidades

Dores crônicas ou aguda nos ossos, articulações, ligamentos, tendões, bursas e músculos, por exemplo, podem ser sinais de doenças musculoesqueléticas. Nesse texto, você conhecerá as principais doenças musculoesqueléticas que afetam os joelhos.
A Osteoartrite é caracterizada pelo desgaste ou degeneração da cartilagem do joelho e possui uma série de causas, como envelhecimento; sedentarismo; sobrepeso; doenças metabólicas; sobrecarga nos joelhos devido a esforço físico de atividades diárias ou esportes; fatores hereditários; gênero, as mulheres são as mais afetadas; alterações nos ossos, como joelhos valgo (voltados para dentro) ou varo (voltados para fora); etc.
Lesão após uma queda, movimentos repetitivos e esforço exagerado são alguns fatores que podem provocar instabilidade articular. Os sintomas desse problema incluem dor, irritação, inchaço (edema), dificuldade para estender totalmente o joelho e desconforto. Se não for diagnosticada precocemente, a instabilidade no joelho pode provocar o desgaste da cartilagem e evoluir para artrose.
Considerada uma das lesões mais graves, decorrente de trauma direto ou indireto, a luxação do joelho acontece quando existe desencaixe dos ossos da articulação e a ruptura de pelo menos 2 dos quatro principais ligamentos do Joelho – Ligamento Cruzado Anterior (LCA), Ligamento Colateral Medial (LCM), Ligamento Cruzado Posterior (LCP) e Ligamento Colateral Lateral (LCL). Os ligamentos, faixas fortes de tecido, são responsáveis por dar estabilidade ao joelho.

Venha até nós

Precisa de atendimento?

Fale Conosco

Dr. Ulbiramar Correia – 2020

Todos os direitos reservados