Condromalácia patelar: o que é, causas, sintomas e tratamento

Você já ouviu falar sobre condromalácia patelar? A princípio, por ser um nome não tão comum, a grande parte das pessoas acredita ser um problema muito grave ou raro.

No entanto, a verdade é que se trata de um problema muito mais comum do que se pensa. Em vista disso, é vital ficar atento a respeito desse assunto.

Então, se você quer saber mais sobre o que é condromalácia patelar, bem como as possíveis causas, é só continuar nesse artigo.

O que é condromalácia patelar?

Por definição, condromalácia patelar é quando há o amolecimento da cartilagem do nosso osso chamado “patela”.

Trata-se de um osso que fica bem na frente do joelho, mas que é mais conhecido pelo nome “bolacha do joelho”.

A cartilagem da patela é um tipo de tecido que recobre toda a articulação, o qual é muito rico em água e proteínas flexíveis. Sendo assim, o seu propósito é de ser capaz de absorver, transmitir e dispensar energia cinética.

Então, à medida que a articulação se move, a cartilagem auxilia a amortecer os ossos, permitindo que ele deslize de forma suave, um contra o outro.

Ao fazer o movimento de extensão e flexão, a patela acaba por deslizar sobre um tipo de trilho ósseo do fêmur, chamado tróclea.

Isso quer dizer que a cartilagem da patela é vital para fazer movimentos de descer e subir escadas e agachar.

Em vista disso, as lesões na cartilagem acabam sendo bem comuns, também. Por essa razão, a condromalácia é a principal causa de dor crônica anterior do joelho.

Estima-se que acomete de 70% a 80% de toda a população mundial. No início da condromalácia, a estrutura amolece e perde a sua capacidade de absorver os impactos.

Por consequência, leva a gerar sobrecarga da articulação do joelho, em especial do osso que fica abaixo, chamado de subcondral.

Quais são as causas da condromalácia patelar?

Dor na patela
Dor na patela

Há diversos fatores que podem estar relacionados a esse problema, uma vez que a condromalácia é bem comum.

Então, dentre as principais causas, podemos citar as seguintes:

Envelhecimento

A condromalácia pode estar relacionada com a velhice. Mesmo porque, à medida que o tempo passa, é normal haver o desgaste da cartilagem.

Inclusive, os médicos conseguem observar esse problema ao fazer exames de imagem, como a ressonância magnética, em pessoas acima dos 30 anos.

Então, de certa forma, podemos afirmar que todo mundo vai ter a condromalácia em algum exame, por mais que não tenha todos os sintomas.

Alterações anatômicas

É muito comum que pessoas que tenham patela alta possam desenvolver a condromalácia. Afinal de contas, nesse caso, a patela fica em uma altura acima do normal em seu trilho.

Dessa forma, no início da flexão, faz com que a patela entre na tróclea sob pressão elevada, o que vai ocasionar a sobrecarga da articulação e na cartilagem.

Esporte praticado

Outra coisa que pode causar esse problema é o esporte, haja vista que tende a forçar muito a articulação.

Algo que você precisa entender é que a condromalácia é um tipo de lesão que está diretamente relacionada com o movimento de frear.

Esse tipo de movimento ocorre quando descemos escadas. Quando o músculo está fraco ou o padrão de contração não é o suficiente, a patela começa a receber todo tipo de impacto. Ou seja, com o tempo, a patela começa a amolecer e fragmentar.

A grande questão é que esportes de corrida, danças e agachamentos podem forçar ainda mais, fazendo com que o problema seja mais provável.

Distúrbios biomecânicos

Alguns casos de condromalácia podem ocorrer devido algum tipo de distúrbio biomecânico. Ou seja, trata-se de um funcionamento inadequado da contração dos músculos inferiores durante o movimento.

Além disso, é importante salientar que esse tipo de distúrbio tende a ser muito mais frequente em mulheres.

Portadores de hiperfrouxidão ligamentar

O joelho é uma articulação bem complexa, a qual está suscetível a diversas condições, sendo que uma delas é a hiperfrouxidão ligamentar.

Ou seja, nada mais é que quando o paciente tem uma maior flexibilidade articular, com o aumento da mobilidade da patela.

Nesse caso, se a força, qualidade e rapidez da concentração muscular não for boa o suficiente, a patela “dança”, criando uma pressão excessiva na cartilagem de dentro e de fora.

Sexo

A condromalácia é mais comum em mulheres, mas isso se dá não apenas por conta do distúrbio mecânico.

Hoje em dia, sabe-se que a mulher tem um tempo de reação muscular um pouco mais lento. Então, essa falta de proteção acaba levando a sobrecarga da cartilagem.

Por consequência, torna-se mais suscetível ao desenvolvimento da condromalácia patelar. Além disso, os fatores hormonais também têm um certo impacto.

O fato é que a queda de estrogênio que ocorre na segunda metade do ciclo menstrual, pode reduzir a resposta muscular, algo que vai agravar o problema.

Excesso de peso

Além de tendinite patelar, o excesso de peso também pode fazer com que a pessoa tenha condromalácia patelar.

Isso acontece porque, além do fator mecânico do aumento na patela, existe o aumento de enzimas que destroem a cartilagem.

Pé plano

Pé plano é um problema bem comum, na verdade, mas o que muitos não sabem é que pode incidir na condromalácia patelar.

Nesse caso, isso ocorre porque o pé chato leva a maior pressão nas articulações do joelho.

Lesões anteriores

Algumas lesões anteriores, como a luxação, também podem fazer com que a pessoa tenha maior tendência a ter condromalácia.

Alto nível de atividade física

Não há como negar que a atividade física é capaz sim de proteger a cartilagem do joelho como um todo, mas desde que de forma moderada.

Mas, em contrapartida, atletas que têm um alto nível de atividade física ou prática esportiva, em especial quando exercem muita pressão sobre o joelho, podem aumentar o risco de condromalácia patelar.

Quais são os sintomas da condromalácia patelar?

Quais sao os sintomas da condromalacia
Quais são os sintomas da condromalácia

A condromalácia patelar causa dor, mas há vários outros sintomas que o paciente pode sentir. Afinal de contas, trata-se de uma doença de evolução lenta e progressiva.

Então, a princípio, o problema começa com um vago desconforto na região interna do joelho, que pode agravar a atividades como correr, pular etc.

Além disso, ficar longas horas sentado, com o joelho dobrado, também pode aumentar o desconforto e a dor.

Alguns pacientes ainda têm a sensação de “aperto” bem em frente ao joelho, fazendo com que as mulheres tenham dificuldade em usar salto, dirigir ou até ficar muito tempo em pé.

À medida que a doença progride, o joelho começa a inchar, fazendo com que o indivíduo perca força muscular do quadríceps.

Dor na patela do joelho

Dor na patela do joelho pode ser um sintoma de condromalácia patelar, que é uma condição em que a cartilagem da patela fica danificada ou desgastada.

Outras possíveis causas de dor na patela incluem lesões, artrite e sobrecarga na articulação.

Dor na rótula do joelho

A presença de dor na rótula do joelho pode indicar a ocorrência de condromalácia patelar, uma patologia caracterizada pela degeneração ou desgaste da cartilagem da patela. Outras possíveis causas para a dor na rótula são lesões, excesso de esforço na articulação e síndrome da banda iliotibial.

Joelheira para condromalácia patelar

A joelheira pode ser uma opção para aliviar a dor causada pela condromalácia patelar. A escolha da joelheira adequada pode depender do grau da condição e da intensidade da dor, além da preferência pessoal do paciente.

As joelheiras para condromalácia patelar costumam ser projetadas para fornecer suporte e compressão na região da patela, ajudando a reduzir a pressão na articulação e aliviar a dor. Alguns modelos também possuem reforços laterais para auxiliar na estabilização da articulação.

Fisioterapia para condromalácia patelar

A fisioterapia é uma opção de tratamento para a condromalácia patelar que visa fortalecer a musculatura ao redor do joelho e melhorar a mobilidade da articulação. O tratamento pode incluir exercícios para aumentar a flexibilidade, fortalecimento dos músculos quadríceps e glúteos, além de alongamentos e técnicas de liberação miofascial.

A fisioterapia também pode ajudar a aliviar a dor causada pela condromalácia patelar, por meio de modalidades como a crioterapia (aplicação de gelo) e a eletroterapia (utilização de correntes elétricas de baixa intensidade).

Condromalácia patelar tem cura?

Condromalácia patelar tem cura?
Condromalácia patelar tem cura?

A condromalácia patelar pode ser curada, mas o tratamento varia de acordo com a gravidade da condição e o método terapêutico utilizado. Em muitos casos, a dor pode ser amenizada com medidas simples, como repouso, compressas quentes e frias, medicamentos anti-inflamatórios e fisioterapia.

Fortalecer os músculos do joelho e equilibrar os grupos musculares para evitar sobrecarga na articulação é extremante indicado.

Porém, em casos mais sérios, pode ser necessário realizar uma cirurgia para reparar ou remover a cartilagem danificada.

O diagnóstico precoce e o tratamento adequado da condromalácia patelar são essenciais para evitar complicações graves e duradouras.

Dessa forma, é possível obter a cura da condromalácia patelar com o tratamento adequado e seguindo as orientações médicas de forma rigorosa.

Perguntas Frequentes sobre condromalácia patelar

Condromalácia patelar grau 2
Condromalácia patelar grau 2

Condromalácia patelar grau 1

A condromalácia patelar grau 1 é uma condição leve, em que a cartilagem da patela apresenta um amolecimento inicial e leve perda de espessura. Nesse grau, a condromalácia é considerada como uma condição inicial e pode não apresentar sintomas. Caso a pessoa apresente sintomas, é possível que seja apenas uma sensação de estalos ou estalidos ao dobrar o joelho.

Condromalácia patelar grau 2

Condromalácia patelar grau 2 é uma condição em que a cartilagem da patela apresenta um amolecimento e perda de espessura. Esse grau de condromalácia é considerado moderado e pode causar dor no joelho, além de uma sensação de instabilidade e estalos durante a movimentação.

Condromalácia patelar grau 3

A condromalácia patelar grau 3 é uma forma moderada da condição, caracterizada por uma perda significativa da cartilagem da patela. Nesse grau, os sintomas podem incluir dor intensa no joelho, dificuldade para dobrar ou esticar a perna e uma sensação de instabilidade na articulação.

Condromalácia patelar grau 4

Condromalácia patelar grau 4 é a forma mais grave da condição, caracterizada por uma perda completa da cartilagem da patela. Esse grau de condromalácia pode causar dor intensa no joelho, além de limitação de movimentos e sensação de instabilidade.

O que você achou disso?

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Avatar photo
Dr. Ulbiramar Correia

Ortopedista especialista em joelho [CRM/GO: 11552 | SBOT: 12166 | RQE: 7240]. Membro titular da SBCJ (sociedade brasileira de cirurgia do joelho), SBRATE (sociedade brasileira de artroscopia e trauma esportivo) e da SBOT(sociedade brasileira de ortopedia e traumatologia).